Início

A

tividades

A apresentação de propostas de atividades para a área da dança, no âmbito do PEEA, pressupõe, desde logo, uma prática sistemática e contínua, numa perspetiva de complexificação e gradual progressão de etapas, de modo a promover um desenvolvimento consciente e sustentado das capacidades e conhecimentos, individuais e coletivos. Da mesma forma se pressupõe que as aprendizagens podem e devem continuar a ser mobilizadas nos anos seguintes.

Considerando as características da população alvo a que o programa prioritariamente se destina (crianças da educação pré-escolar e alunos do 1º ciclo do ensino básico), e sendo essa uma idade consensualmente considerada como crítica para a aprendizagem das habilidades motoras, a abordagem preferencial para o desenvolvimento das linguagens específicas da dança passará pelo prévio desenvolvimento de atividades motoras diversificadas.

  Atividades de exploração / experimentação de Movimentos Básicos Locomotores (que implicam deslocamento)

Andar, Marchar, Correr, Saltar (dois-dois, dois-um, um-dois um-mesmo, um-outro), Saltitar, Galopar, Virar (Voltas para a direita e para a esquerda, volta inteira, meia volta, quartos de volta), Rodopiar, Rastejar, Gatinhar, Cair (Queda- perda controlada de estabilidade seguida de recuperação em equilíbrio), entre outros.

  Atividades de exploração / experimentação de Movimentos Básicos Não Locomotores (sem deslocamento):

Balancear, Inclinar, Fletir, Contrair, Estender, Alongar, Empurrar, Puxar, Torcer, Tremer, Elevar, Baixar, Alongar, Pressionar, entre outros.

  Desenvolvimento de atividades ricas em situações de exploração e experimentação

Desenvolvimento de atividades ricas em situações de exploração e experimentação, normalmente de caráter lúdico, que visem a apropriação de um vocabulário motor básico capaz de suportar e estimular uma crescente consciência e domínio do corpo, suas possibilidades de deslocamentos pelo espaço, de relação com objetos e de comunicação com os outros.

No âmbito do PEEA, todas as crianças/alunos têm acesso à dança, independentemente da habilidade de cada um. Essa perspetiva foi já defendida por Laban*. A dança, pela educação do movimento, seria, na sua conceção, para todos e não apenas para alguns, e poderia, tal como outro qualquer movimento humano, ser analisada e desenvolvida através daquilo que descreveu como os fatores/dimensões do movimento: Corpo, Espaço, Tempo, Dinâmica e Relações. Pela transversalidade às diversas formas e estilos de dança, poderemos utilizar a organização apontada por Laban, como mapa orientador dos conteúdos a desenvolver, através de Atividades que promovam o “domínio do instrumento corpo e dos materiais espaço, tempo, dinâmica e relações” e respetivos vocabulários específicos:

  • O que se movimenta? O Corpo através dos movimentos / ações motoras fundamentais – Desenvolver a consciência corporal e comportamentos motores básicos. (Mapa Corporal, Alinhamento corporal, Postura, Dissociação entre movimentos dos membros superiores e inferiores, Ações com diferenciação segmentar, Transferências de peso);
  • Onde se movimenta? No Espaço – Desenvolvimento de consciência espacial e diferentes formas de evolução de movimento no espaço, diversificando:
  • Direções (em frente, atrás, para os lados direito e esquerdo);
  • Trajetórias (lineares, curvilíneas, angulares);
  • Níveis de execução (baixo- junto ao chão, médio- ao nível do andar, alto-com saltos);
  • Planos – Horizontal (como se sobre uma mesa); Vertical (como se em frente à porta).
  • Quando se movimenta? Num Tempo – Exploração de diferentes possibilidades de evolução do movimento no tempo, (Ritmos Básicos - ao ritmo da marcha, ao ritmo da corrida, ao ritmo das palmas do educador; Duração- Longa e curta, Pausas, Aceleração/Desaceleração, Frase).
  • Como se movimenta? Exploração de diferentes Dinâmicas - O Tempo e a Dinâmica dão-nos a Energia do Movimento (Fluência, Acentuação/Tensão, Contrastes/Opostos, Ênfase);
  • Com quem se movimenta? Numa Relação – (consigo próprio, com objetos, com o outro, com o grupo).

Para além da exploração e conhecimento destes materiais fundamentais da dança, pretende-se ainda que as crianças possam desenvolver capacidades de resposta não-verbal apropriadas à comunicação nesta área. As perspetivas mais usuais para o desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem da dança, enquanto forma de arte, apontam para uma integração equilibrada da experimentação, composição, interpretação e visualização de danças.

  Desempenhar / interpretar

Entre outras atividades:

  • Imitação, através do movimento, de: animais, situações da vida quotidiana, histórias, canções, lengalengas;
  • Imitação (em simultâneo) de movimentos/sequências de movimentos sugeridos pelo professor e/ou colega (s);
  • Repetição/Reprodução de movimentos/sequências de movimentos sugeridos pelo professor, colega (s) ou outros.

  Construir / criar

Entre outras atividades:

  • Criação / recriação de movimentos a partir de, temáticas e personagens;
  • Improvisação de sequências de movimentos a partir de estímulos vários;
  • Construção de combinações de movimentos locomotores e não locomotores para expressar a sensibilidade individual face a temas sugeridos pelo professor (imagens, sensações, emoções, histórias, canções, etc.).

  Observar / apreciar

Entre outras atividades:

  • Observação de pequenas danças, em contexto de sala de aula, alternando as funções de intérprete e de observador;
  • Observação e apreciação de diversas formas de dança, em diferentes contextos: físico (teatros, auditórios, museus,) televisivo e cinematográfico (séries, filmes, DVD) e digital (Internet, CDROM);
  • Expressão / comentário de pequenas peças de dança, utilizando vocabulário específico apreendido.

* Laban, Rudolph - Consultar Glossário

Este site foi otimizado para os seguintes browsers e versões superiores: Firefox 11 para Mac OS e Windows | Internet Explorer 10 para Windows | Apple Safari 5 para Mac OS | Chrome para Mac OS e Windows